2011-12-25

2011 | sumário

2011 | discos

p.j.harvey – let england shake

anna calvi – anna calvi

lykke li – wounded rhymes

the black keys – el camino

the horrors – skying

the raveonettes – raven in the grave

s.c.u.m. – again into you

suuns – zero qc

the strokes – angles

radiohead – the king of limbs


2011 | canções

anna calvi – love won’t be leaving

the raveonettes – evil seeds

jack white – love is blindness

s.c.u.m. – whitechapel

suuns – up past the nursery

the black keys – lonely boy

the horrors – still life

the strokes – machu picchu

girls – vomit

p.j. harvey – the words that maketh murder

lykke li – rich kids blue

the kills – future starts slow


2011 | ao vivo

p.j. harvey – aula magna, lisboa, 26 maio

anna calvi – hard club, porto, 21 setembro

patrick watson – s.mamede cae, guimarães, 24 abril

lykke li – sbsr, aldeia do meco, 14 julho

portishead – sbsr, aldeia do meco, 15 julho

arcade fire - sbsr, aldeia do meco, 15 julho

the national – coliseu, porto, 23 maio

blonde redhead - paredes de coura, 18 agosto

pulp - paredes de coura, 18 agosto

warpaint - paredes de coura, 18 agosto

mogwai - paredes de coura, 20 agosto

joy formidable – paredes de coura, 19 agosto

the strokes - sbsr, aldeia do meco, 16 julho

arctic monkeys – sbsr, aldeia do meco, 14 julho


2011 | filmes

black swan, darren aronofsky

blue valentine, derek cianfrance

pina, win wenders

biutiful, alejandro iñárritu

winter’s bone, debra granik


[são as minhas escolhas. é possível que haja alterações e/ou adendas (sobretudo na lista dos filmes, até porque alguns ainda não passaram a pré-eliminatória da lista… de espera). a rever nos próximos dias/meses...]

2011 | filmes



2011 | ao vivo

p.j.harveyaula magna, lisboa, 26 maio

anna calvi - hard club, porto, 12 setembro

patrick watsons. mamede cae, guimarães, 24 abril

portisheadsbsr, aldeia do meco, 15 julho

arcade fire sbsr, aldeia do meco, 15 julho

lykke li sbsr, aldeia do meco, 14 julho

the national - coliseu, porto, 23 maio

- - -

pulp, warpaint, mogwai, joy formidable, blonde redhead

(paredes de coura, 18 a 20 agosto)

- - -

the strokes, arctic monkeys

(sbsr, 14 a 16 julho)

2011 | canções

anna calvi – love won’t be leaving

lykke li – rich kid blues

the raveonettes - evil seeds

the horrors - still life

p.j.harvey - the words that maketh murder

the strokes - machu picchu

suuns - up past the nursery

girls - vomit

s.c.u.m. - whitechapel

the kills - future starts slow

jack white - love is blindness

the black keys - lonely boy

2011 | discos


2011-12-20

merry x.mas!

2011-12-09

el camino del rock!


À boleia da aquisição do bilhete para o concerto mais aguardado dos últimos tempos, acabo de sair da Fnac ao volante do veículo acima reproduzido (e com a carteira mais leve, que isto de andar no ginásio tem que se fazer sentir em algum lado, n'est-ce pas?). Vim até casa a ouvir a rodela que dali se extrai. E, meus amigos, após uma primeira e, até agora, única audição, tenho-vos a dizer que, afinal, aquele rock que me corre nas veias continua a estar aí para as curvas. Que grande disco!


A propósito, não fica nada mal deixar aqui o melhor videoclip dos últimos anos.
Quem não tiver vontade de deixar tudo, mas mesmo tudo, e começar a ensaiar o passito de dança do protagonista é uma maçã podre. Tenho dito.

2011-10-30

twenty years (ii)


i) (Re)Covered...
[e ainda q uma faixa se intitule "even better than the real thing", nem gente tão ilustre como Nine Inch Nails ou Depeche Mode consegue levar à letra tal afirmação. afinal estamos a falar daquele q é o disco da minha vida: Achtung Baby :)]



iv) o post q eu devia ter aqui escrito [e q o Planeta POP tão bem compilou :)]

2011-09-20

twenty years (i)


há 20 anos eram as camisas de flanela e os cabelos compridos;
agora são as camisas engomadas e os sapatos engraxados.
feelings? these are the same...

2011-09-13

club silencio [*]

Uma timidez desconcertante na voz falada. Um portento na voz cantada.
De vermelho, qual cabaret pintado por David Lynch, Anna Calvi ganhou adeptos.
Tantos quantos os que lá estariam, incapazes até de suspirar perante um clube de rock dominado pelo silêncio. Um silêncio consentido. Imposto por um carisma imenso, que se esconde por detrás de uma guitarra.
Que grande concerto!


[diz que no Lux a coisa foi assim. ou assim.]

[*] título obviamente roubado daqui.